NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

terça-feira, 2 de maio de 2017

Zona Norte deve ganhar Hospital da Mulher com 200 leitos


Foto: Alex Régis

A Zona Norte de Natal deve receber a construção do Primeiro Hospital da Mulher do Rio Grande do Norte. Uma parceria entre a Prefeitura do Natal, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN e a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH começou a ser discutida nesta terça-feira (2), na sede da administração municipal. Serão 200 leitos exclusivos para a área materno infantil, a serem construídos na área contígua ao terreno da maternidade Leide Morais que será doado pela gestão do Município.

A reunião, comandada pelo prefeito Carlos Eduardo, contou com a presença da reitora da UFRN, Ângela Paiva, do presidente da EBSERH, Kléber Morais, do secretário de saúde do Município, Luiz Roberto Fonseca, Sônia Barreto, superintendente da maternidade Januário Cicco, Stênio Silveira, superintendente do Hospital Onofre Lopes e vários secretários do município. Todos concordaram que a iniciativa é histórica para a saúde do Rio Grande do Norte.
Segundo o presidente da EBSERH, a Prefeitura do Natal, ao assumir a parceria com a doação do terreno, estará repetindo um ato histórico como o que fez o médico Januário Cicco há 50 anos, ao construir a maternidade que hoje leva o seu nome. “Pode ter certeza que assim como o fez Januário Cicco, hoje estamos aqui trabalhando para garantir um tratamento digno para as mulheres pelos próximos 50 anos”, comentou Kléber Morais.
O Prefeito Carlos Eduardo ressaltou a importância da obra ser executada na Zona Norte da capital. “Se separarmos a Zona Norte de Natal, teremos o segundo maior município do Estado, superando inclusive Mossoró. No entanto, Mossoró, por exemplo, tem uma história de muitos anos. Já a Zona Norte tem apenas 40 anos. Surgiu e cresceu desordenadamente e numa velocidade absurda. A construção desse Hospital lá será de enorme importância para levar dignidade e cidadania para uma parte da população que mais precisa”, analisou o prefeito.
A superintendente da maternidade Januário Cicco, Sônia Barreto enfatizou que a construção vai permitir um desafogo da maternidade que hoje não consegue atender sem ter que utilizar os corredores como leitos. “Com essa nova unidade vamos dar uma assistência mais humana às nossas pacientes”, comentou.
Já o secretário de saúde, Luiz Eduardo Fonseca relembrou as ações da Prefeitura do Natal na área de saúde e ponderou que a nova maternidade completará um ciclo virtuoso da gestão em relação à assistência médica oferecida à população da capital. “O fato de realizar a reforma de 40 unidades básicas de saúde, tendo sete novas para entregar este ano, sendo três neste mês de maio, entregar a terceira UPA, está com o concurso público para a saúde programado, ter realizado o primeiro concurso para os agentes de endemias, ter construído a maternidade Araken Pinto, a Lady Morais e ainda ter feito o primeiro Hospital Municipal de Natal, mostram a importância que essa gestão dá para a saúde”, pontuou Fonseca.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.