NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Vereadores Paulo Moreira e Jailson Brito voltam a se enfrentar na Câmara Municipal de Itaú

 Aconteceu na sexta-feira (24), a 4ª Sessão Ordinária do primeiro período legislativo do ano 2015 da 14ª legislatura realizada pela Câmara Municipal de Itaú, faltando apenas o vereador Márcio Lima, onde passou-se para o expediente do dia com a leitura do Ofício 036/2015 do Gabinete do Prefeito, Ciro Bezerra (DEM), com apresentação do projeto dispondo sobre as diretrizes de transição para o primeiro processo de escolha unificado dos conselheiros tutelares e dar outras providências.


O Projeto foi enviado para as comissões para análise para que seja votado. Foi lido também o Ofício Circular 005/2015, enviado pela Secretária Municipal de Educação e Cultura convidando os Edis para a Conferência Municipal de Educação de Itaú-RN, neste dia 05 de Maio, no CRAS. Na ordem do dia não ouve deliberações.



A troca de farpas entre os Edis dá-se início no momento das explicações pessoais, e tudo começou quando o Vereador Jailson Brito resolveu anunciar os feitos do Prefeito Municipal Ciro Bezerra, onde o mesmo disse achar interessante o prefeito participar de um grupo de uma rede social, Whatzapp, e fazer declarações aos cidadãos. Jailson leu várias coisas anunciadas pelo prefeito, dizendo que no grupo há participantes de todos os partidos (aliados e adversários).



Outro assunto que desagradou o vereador Paulo foi sobre o RPPS, que segundo Jailson o prefeito colocaria em dia até julho de 2015.



Chega a vez do vereador Paulo Moira; ele começou dizendo que ia colocar um requerimento na casa, mas devido a viagem do assessor jurídico da casa não colocou, pedindo providências a respeito dos plantões dos médicos do Município que segundo o vereador Paulo, está uma vergonha. Onde o mesmo se diz não aguentar mais de ir tantas vezes a vizinha cidade de Severiano Melo, tendo que pedir para atender o povo de Itaú. Acusando o prefeito Ciro de ir à Rádio Cidade dizer que está tudo em dia, e segundo os médicos, os plantões estão atrasados, que ao conversar com os médicos o vereador recebeu a declaração.



Paulo acusou Ciro de estar se “exibindo” de alguns feitos e esquecer da saúde. Quando são necessários fichas limitadas para atender os munícipes. Denunciando a estrutura física da maternidade dizendo que as portas está caindo, chegando a dar nojo, segundo o vereador. Citando exemplos de pacientes que precisaram dos serviços públicos e ele (Paulo) teve que pegar seu carro e sair com o paciente.



Sobre o RPPS, Paulo disse que usaram a inauguração da Creche Modelo para esconder os atrasos do Fundo Previdenciário, dizendo que os atrasos está se aproximando a quase um milhão de reais. No final da sessão o Vereador Gildo Pinheiro, a pedido da Presidente do RPPS apresentou os números reais das aplicações e dos atrasos dizendo que não havia o exagero apresentado por Paulo de um milhão de reais, onde na verdade os números reais dos atrasos, entre eles o parcelamento, são de R$ 188.000,00 mil reais.



Paulo cobrou a fiscalização dos direitos do povo, por parte dos demais vereadores dizendo que os mesmos não podem ficar com “a cara pra baixo, ou pra cima, achando que o povo estão satisfeito com um desmantelo desse”. Deixando no ar palavras um tanto inconclusivas ou dizer “Eu acredito que o município não precisa ninguém aqui querer saber o que se pode fazer. Aqui tem muita coisa que está saindo, que já era pra ter saído. Essa creche (que é muito importante no nosso município) mas aqui já está saindo atrasado. Os municípios vizinhos, todos os municípios vizinhos já tem essa creche funcionando, inclusive foram olhar as do vizinho, para começar a daqui, para terminar a daqui. Tá aí muito importante, é muito importante, eu aplaudo muito essa creche que é muito importante no nosso município, mas tem muita coisa aqui, que num vá pensar que está fazendo sonho não, já está ultrapassado de tanto desmantelo, de tanta enrolada com as coisas”.



O vereador denunciou o atraso nos pagamentos dos trabalhadores do calçamento do bairro da Parabólica, obras apresentada pelo vereador Jailson Brito. Dizendo que o povo estava revoltado com os atrasos. O Edil denunciou também o matadouro público, e que se houvesse fiscalização o mesmo não funcionava. Denunciando o prefeito de maquiar a situação do município com essas coisas boas. Dizendo que daqui pra frente vai cobrar do prefeito.



Jailson fez uso da replica para se defender das acusações, dizendo que tem coisas apontadas pelo colega vereador que são verdades, porém defendeu o atendimento dos pacientes nos municípios vizinhos, dizendo que a saúde está ruim não só em Itaú, mas em todo o Brasil. Dizendo que o município de Itaú também dar assistência aos municípios de Rodolfo Fernandes e Severiano Melo, sendo criticado por Paulo ao dizer que: “Só se foi lá pra André Júnior”.



Jailson disse que estava a disposição dos munícipes para lutar pelo atendimento ao paciente aos que forem barrados pelos médicos de municípios vizinhos. Ao falar sobre as obras, Jailson justificou a conclusão das obras paradas, questionando o vereador Paulo, para saber onde o mesmo iria ficar nas eleições de 2016, porque o mesmo está falando de todos, os ex e atuais administradores. Pedindo para que Paulo seja candidato e seja prefeito, e tente colocar a saúde dos sonhos, fazer todas as obras. Acusando que o mesmo não pode falar de coisas certas, porque Paulo tem uma irmã trabalhando em Brasília e recebendo o dinheiro de Itaú, citando que se a mesma pegasse um avião de Brasília para um aeroporto em Júnior de Dozinho, não daria tempo ela cumprir a carga horária de trabalho. Perguntando, “E ai Paulo, quem está certo e quem está errado?



Jailson defendeu o prefeito dizendo que o Ciro está fazendo o máximo, mas se não fizer é porque não tem condições, porque o mesmo está com carro e casa financiados, os vereadores estão todos lascados com empréstimos, passando a imagem de que alguém está roubando o município. Dizendo que os vereadores estão ali para cobrar as leis, mas se não é viável, não tem recursos, como pode haver cobranças?.



O Edil aproveitou para dizer que Paulo se atualize, quando vier fazer uma denúncia sobre o RPPS para não exagerar, porque os valores são muito menos do que ele apresentou. Destacando que o mesmo deveria saber ser adversário e bater o pé e não querer mais negócio com aquelas pessoas. Porque ele (Jailson) para onde quiser ir numa eleição poderia ir, já Paulo com que cara vai chegar para falar do aliado político?



Fazendo uso de sua réplica Paulo Moreira se defendeu das acusações de jailson em relação ao RPPS e o atendimento aos pacientes, justificando o apoio ao atual prefeito e ex-prefeito dizendo que não sabe quem vai prestar ou não vai prestar, e que está em seu terceiro mandato e se não tivesse prestado não estava ali, e não estava pedindo favor ao prefeito, mas cobrando do prefeito, dizendo que se o ex-prefeito deixou alguma coisa por fazer, Ciro disse na Rádio que recebeu o município todo arrumado e já se desarrumou de uns dias pra cá? Não querendo saber do dinheiro particular de ninguém, mas do município. Paulo Denunciou o estado da ambulância, que segundo ele, nem pneu tem, todos estão carecas, e que a ambulância não consegue chegar a capital, porque se não “fica no prego”. E sobre sua irmão que recebe sem trabalhar disse que em Itaú tem muitos nessa situação e não quer saber sobre isso não, não quer saber de vida de ninguém não.



A coisa foi ficando cada mais quente a medida que as acusações iam aparecendo. Paulo disse que Jailson adoeceu e quando chegou na maternidade não tinha médico, o mesmo tem seu carro, pode se deslocar para ser atendido em outro município. E quem não tem? Questionou ele. Jailson fazendo uso de sua tréplica e última fala para acusar o vereador de fazer uso dos carros da saúde, quando tem uma Hilux na porta de casa em bom estado, quando precisou dos serviços públicos, que segundo Jailson, Paulo adoeceu e ao invés de usar o seu carro, quando estava com “um carrão, com pneu bom, bonitão” deixando a maternidade sem médico e sem carro.



Jailson disse que se tem alguém ganhando em Natal ou em qualquer lugar sem receber, use a consciência e venha trabalhar ou entregue o cargo, porque o mesmo ficou com a consciência pesada e voltou a trabalhar.



Paulo sentiu-se magoado quando Jilson disse que o mesmo não era um mau vereador, porque trabalha, é meio traíra, mas faz pelo povo. Não concordando com as coisas como político. Paulo disse que essas palavras ficarão marcadas nele, mais vai esperar o futuro, ao fazer uso da tréplica.



O Presidente da Casa Vereador Antônio Dias, disse entender a “discussão” dos Edis, mas que terá que impor limites impostos pela Lei da Câmara para conter os ânimos, que é de cinco minutos, encerrando logo em seguida a sessão.



* Cidade News.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.