NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

sábado, 26 de outubro de 2019

Com ajuda da mãe, homem tenta matar companheira grávida de 9 meses usando faca e pedaço de vidro.


Uma mulher de 29 anos ficou ferida após ser atacada pelo companheiro com golpes de faca e do gargalo quebrado de uma garrafa na última quinta-feira (24), no município do Crato, na Região do Cariri do Ceará.
A tentativa de feminicídio foi registrada no Bairro Gizélia Pinheiro, onde a vítima reside. Segundo a polícia, a mãe do agressor segurou a vítima para que ela fosse golpeada e ainda a chutou.
Grávida de quase nove meses, a mulher foi espancada com pauladas, socos e pontapés. “A vítima relata de forma veemente que a mãe do companheiro a agrediu também, praticando chutes contra ela, agressões físicas, ofensas morais e que também teria a segurado para que o autor a furasse com a faca e com gargalo”, disse a delegada Débora Gurgel, que está respondendo pela Delegacia da Defesa da Mulher do Crato.
“Foi uma sessão de tortura e espancamento. A vítima disse que foi jogada ao chão, sofreu vários murros na cabeça, nas pernas, vários chutes, agressões com pau, facas de mesa e gargalos de garrafas”, ressaltou a delegada.
Medo de denunciar
Conforme a polícia, a vítima estava há cerca de sete meses com o agressor, Francisco Ederson Pereira de Sousa, de 22 anos. Durante todo esse tempo, conforme o relato, a mulher sofreu agressões tanto morais como físicas, mas não o denunciou para a polícia antes por medo.
Indiciados por tentativa de feminicídio
Ainda de acordo com a polícia, antes de a vítima passar a viver com o agressor, ela já se encontrava grávida de outro homem e o acusado tinha afirmado que assumiria a paternidade da criança. No entanto, nos últimos meses ele estava muito violento.
A vítima das agressões necessitou de atendimento médico. Ela passou por um procedimento cirúrgico no Hospital São Camilo, no Crato, e já recebeu alta médica.
Francisco Ederson e a mãe, Ana Adélia Pereira de Sousa, de 44 anos, foram presos e indiciados por tentativa de feminicídio. Eles foram levados à Cadeia Municipal do Crato e à Cadeia Pública de Juazeiro do Norte, respectivamente.



* João Marcolino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.