NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

domingo, 29 de março de 2015

Vettel cumpre palavra, surpreende Mercedes e conquista na Malásia primeira vitória pela Ferrari

Sebastian Vettel no GP da Malásia (Foto: Getty Images))

* MSN - Sebastian Vettel é um homem de palavra. Logo depois de cravar o segundo melhor tempo na classificação de sábado, o alemão afirmou que a vitória era realmente possível em Sepang, apesar da força de Lewis Hamilton e da Mercedes na temporada 2015 da F1. Dito e feito. Em cima de uma estratégia certeira e de uma pilotagem impecável nas 56 voltas da prova, o tetracampeão surpreendeu os prateados e conquistou a primeira vitória pela Ferrari na Malásia neste domingo (29).

É também o primeiro triunfo da esquadra italiana desde o GP da Espanha de 2013 e o primeiro de Vettel desde a etapa do Brasil do mesmo ano, quando ainda defendia a Red Bull. 

Lewis Hamilton e Nico Rosberg tiveram, então, a amarga tarefa de completar o pódio. O inglês cruzou a linha de chegada na segunda colocação, enquanto o alemão surgiu em terceiro. Ainda assim, Hamilton continua líder do Mundial, agora com 43 pontos.

Depois de uma boa largada, Felipe Massa viveu um GP malaio bastante disputado e, no fim, ainda teve de enfrentar uma dura batalha contra o companheiro de Williams, Valtteri Bottas, mas perdeu e chegou em sexto. Kimi Räikkönen fechou à frente dos dois, em quarto. Já Felipe Nasr foi apenas o 12º.

Confira como foi o GP da Malásia de F1
Antes mesmo de as luzes se apagarem em Sepang para a segunda etapa da F1 em 2015, o grid novamente teve uma baixa. Por conta de um problema terminal no sistema de combustível da Manor Marussia, Will Stevens foi obrigado a desistir da prova malaia, reduzindo, assim, para 19 carros a disputa na quente e úmida pista de Kuala Lampur.

Na pista, com exceção da dupla da McLaren, todo o resto decidiu largar com os pneus médios – conforme as regras, os dez primeiros obrigatoriamente precisam sair com os compostos usados no Q2.

Dito isso, vamos à largada. O pole Lewis Hamilton saiu bem da posição de honra e não deu qualquer chance a Sebastian Vettel, que assegurou o segundo posto já fechando a passagem de Nico Rosberg ainda na reta principal de Sepang.

Daniel Ricciardo logo se colocou atrás dos três ponteiros e foi seguido por Felipe Massa, que fez boa saída a partir do sétimo lugar. Daniil Kvyat surgiu logo em seguida, em sexto, à frente de Nico Hülkenberg — o alemão ganhou seis colocações na largada —, Marcus Ericsson, Max Verstappen e Romain Grosjean, outro que teve bom início. O francês da Lotus passaria o novato logo na segunda volta.
O giro 2 da prova também viu um incidente entre Felipe Nasr e Kimi Räikkönen. Disputando o 12º posto, o brasileiro acabou tocando na Ferrari do finlandês na curva final da pista malaia, causando um furo no pneu traseiro esquerdo. Os dois tiveram de ir aos boxes em seguida.

Uma volta mais tarde, Ericsson acabou escapando da pista sozinho depois de rodar na aproximação da curva 1. Com o sueco parado na brita, a direção de prova decidiu colocar o safety-car até que o resgate da Sauber fosse concluído.

Nesse momento, muita gente também optou por visitar os boxes. Entre os ponteiros, Hamilton, Rosberg, Massa e Ricciardo foram para a troca de pneus. Os dois primeiros escolheram já sair com os pneus duros, enquanto os demais foram ainda nos médios. Vettel, Hülkenberg, Grosjean e Sainz Jr., ao contrário, acharam melhor permanecer na pista.

O carro de segurança saiu no fim da volta seis. E o tetracampeão da Ferrari tratou logo de abrir caminho à frente. O alemão era seguido por Hülk, Grosjean, Sainz, Pérez, Hamilton, Ricciardo, Massa, Rosberg e Kvyat.

Enquanto o Rosberg levou três voltas para passar Massa — que reclamava da falta de potência da Williams —, Hamilton foi escalando o pelotão. Primeiro, se livrou de Pérez, depois de Sainz e, em seguida, de Grosjean. Quase na mesma balada. Hülkenberg foi só uma questão de tempo.  

Aí Hamilton já se posicionou em segundo e iniciou a caça a Vettel. Rosberg, por sua vez, vinha abrindo caminho como podia no pelotão intermediário e chegou ao terceiro posto na 13ª passagem da corrida.

Aí que Lewis começou a tirar dois décimos por volta para Seb. Rosberg vinha mais atrás, em terceiro. Enquanto isso, a disputa era intensa nas posições intermediárias: Massa superou Ricciardo para ficar com a sétima posição e já foi atrás de Grosjean, o sexto. Mas o francês passou antes.

Então, com 16 voltas, a ordem dos dez era: Vettel, Hamilton, Rosberg, Massa, Bottas, Ricciardo, Verstappen, Kvyat, Alonso e Button. A dupla da McLaren havia parado ainda no início, quando safety-car entrou na pista, e vinha andando forte até em cima dos pneus médios. Já Felipe Nasr era o 11º.

Dois giros mais tarde, a Ferrari finalmente chamou Vettel para os boxes. O alemão voltou à pista na terceira colocação, calçado com os pneus médios.

Em cima da versão mais macia dos pneus do fim de semana malaio, o alemão começou a tirar a diferença para Rosberg e encostou rapidamente na Mercedes do vice-líder do campeonato. E a ultrapassagem demorou. Veio na 22ª passagem. Em seguida, Sebastian virou suas atenções para Hamilton.

Em outro ponto da corrida, a volta 22 também marcou o pit-stop de Button e o abandono de Alonso. Na pista, a coisa continuava fervendo. Enquanto Vettel vinha tirando diferença para Hamilton, o bloco intermediário via Red Bull em apuros com a irmã mais nova. Verstappen fez uma bonita ultrapassagem em Ricciardo para tomar o décimo posto. Logo em seguida, o novato passou Hülkenberg e se tornou o nono na prova e não parou por aí.
Mais atrás, Hülkenberg, Ricciardo e Kvyat, que vinha 11º, também protagonizavam das suas. A intensa disputa entre os três acabou em um toque entre o alemão e o russo. Pior para Daniil que rodou e perdeu contato com os dois — o incidente foi parar na mesa dos comissários. E o piloto da Force India tomou um time-penalty de 10s na sequência.

Ainda assim, Kvyat conseguiu voltar à pista. Já Ricciardo, além de tentar se manter na briga, enfrentava um sério problema de freios.

Na ponta de cima da tabela, a história também era tensa. Vendo a aproximação de Vettel, a Mercedes decidiu chamar Hamilton no giro 23. O inglês saiu com os pneus médios, na terceira colocação. Rosberg ficou mais cinco voltas na pista até parar na 27. Só que, ao contrário de Lewis, Nico voltou com os compostos duros.

Nessa balada, Rosberg passou a perseguir Kimi Räikkönen, que vinha em quarto, depois das rodadas de pits. E Nico superou o finlandês rapidamente na passagem 29. Enquanto isso, Hamilton vinha em ritmo forte, tentando reduzir a vantagem de Vettel. Em pouco mais de dez voltas, o inglês já tinha tirado cerca de sete segundos. E tinha ainda de tirar mais na tenativa ainda vencer o alemão na parte final da corrida.

Em outro ponto isolado da corrida, Pérez e Grosjean também se encontraram. Pior para o francês, que acabou rodando depois de um toque com o mexicano. Sergio também acabou punido.

Lá na frente, a Ferrari decidiu pela troca de pneus de Räikkönen na volta 35. Três giros mais tarde, foi a vez de Vettel parar. O alemão voltou à frente de Rosberg. Já Lewis assumiu a liderança, com nove segundos de vantagem para o tetracampeão.

E aí Hamilton também preferiu parar imediatamente, na 40ª passagem. E veio de pneus duros, em uma surpreendente mudança de tática. O inglês voltou em terceiro. Massa também aproveitou para parar na mesma volta, seguindo a estratégia e pneus do líder do campeonato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.