NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

terça-feira, 18 de abril de 2017

Suposto jogo da Baleia Azul no interior do RN liga sinal de alerta aos pais



Além de levar temor a parte da população, mortes de adolescentes relacionadas ao jogo da Baleia Azul têm gerado reações em todo o Brasil.

No Rio Grande do Norte, em meio aos boatos e áudios que ganham grande dimensão em compartilhamentos, um deles chama a atenção, independente de sua legitimidade. Uma mãe, em tom de preocupação, relata a suspeita de sua filha e uma amiga, que poderiam estar participando do jogo, em decorrência da mudança de seus comportamentos. O relato seria no município de Macau, cidade distante 166, km de Natal.
Infelizmente, as redes sociais ainda são muito frágeis em relação ao controle de divulgação de conteúdos. O que resta, tão somente, é a atenção redobrada dos familiares aos filhos, sejam crianças ou adolescentes, através do monitoramento de comportamento e sobre o que andam visualizando nos aplicativos de chat.

Entenda o ‘Jogo da Baleia Azul’ e os riscos envolvidos


O sinistro jogo viral tem causado alarme no mundo todo. É o jogo da Baleia Azul, disputado pelas redes sociais, que propõe desafios macabros aos adolescentes, como bater fotos assistindo a filmes de terror, automutilar-se, ficar doente e, na etapa final, cometer suicídio.
Aparentemente o fenômeno começou na Rússia, mas está se espalhando – inclusive no Brasil, como sugerem o caso da jovem de 16 anos morta no Mato Grosso e uma investigação policial em andamento na Paraíba. Na Rússia, em 2015, uma jovem de 15 anos se jogou do alto de um edifício; dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Depois de investigar a causa destes e outros suicídios cometidos por jovens, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida.
A preocupação aumentou ano passado, quando fontes diversas chegaram a divulgar, sem confirmação, 130 suicídios supostamente vinculados a comunidades online identificadas como “grupos da morte”.
Tudo na internet se espalha muito rápido, mesmo as coisas mais inacreditáveis. Neste caso não é diferente. O fenômeno ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo. Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias, depois que adolescentes apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação.
Jogos com apelos de riscos letais têm virado moda entre os adolescentes. Um exemplo é o jogo da asfixia, que gerou vítimas no Brasil. Outro é o “desafio do sal e gelo”, no qual, para serem aceitos no grupo, os adolescentes devem queimar a pele e compartilhar as imagens nas redes sociais. Embora exista há anos, o desafio voltou com força recentemente. Sem falar no “Jogo da Fada”, que incita crianças o gás do fogão de madrugada, enquanto os pais dormem.
As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul. Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.