NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Petrobras calcula perdas de R$ 88,6 bi com corrupção e falhas

* R7 - Um cálculo apresentado ao Conselho de Administração da Petrobras estimou em R$ 88,6 bilhões as perdas da companhia com variação de preços de matérias-primas, insumos vencidos, falhas em processos e os casos de corrupção investigados pela operação Lava Jato. O dado está num comunicado da presidente da empresa, Graça Foster, que avisou que a metodologia usada para o cálculo não foi adequada.

— O resultado das avaliações indicou que os ativos com valor justo abaixo do imobilizado totalizaram R$ 88,6 bilhões de diferença a menor.
A Petrobras divulgou nesta madrugada, após dois meses de atraso, seu balanço contábil e informou que registrou lucro líquido de R$ 3,087 bilhões no terceiro trimestre de 2014 — valor 37,75% menor em relação ao segundo trimestre do ano passado, quando o lucro da companhia chegou a R$ 4,959 bilhões.
A Petrobras adiou por duas vezes a divulgação dos dados justificando que precisava contabilizar as perdas da companhia com os casos de corrupção. No entanto, o relatório publicado não contempla essas informações.
Graça inicia o comunicado lembrando que a Petrobras "enfrenta um momento único em sua história" por causa da operação Lava Jato, da Polícia Federal. Graça lembra a "prisão do ex-diretor de Abastecimento da Companhia Paulo Roberto Costa, que está sendo investigado pelos crimes de corrupção, peculato, dentre outros".
Em seguida, o próprio comunicado de Graça Foster avisa que o Conselho de Administração concluiu "ser impraticável a exata quantificação destes valores indevidamente reconhecidos, dado que os pagamentos foram efetuados por fornecedores externos e não podem ser rastreados nos registros contábeis da Companhia".
Mais adiante, porém, a presidente diz que o conselho decidiu "não utilizar a metodologia da determinação do valor justo [...] para ajustar os ativos imobilizados da Companhia devido à corrupção, pois o ajuste seria composto de elementos que não teriam relação direta com pagamentos indevidos".
— Assim, aprofundaremos outra metodologia que tome por base valores, prazos e informações contidos nos depoimentos em conformidade com as exigências dos órgãos reguladores (CVM e SEC), visando a emissão das demonstrações contábeis revisadas.
Graça encerra o comunicado dizendo que a companhia está "dando plena condição para que as investigações em curso, sejam as internas, sejam as externas, caminhem livremente, sem qualquer barreira".
— Somos transparentes com vocês, nossos acionistas e investidores. Trabalhamos para que, no futuro próximo, nossa companhia seja reconhecida por seus métodos de governança e controles internos com a mesma excelência que tem sido reconhecida ao longo dos anos por sua capacidade técnica e operacional.
Bovespa
Pouco antes das 16h desta quarta-feira, as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) acumulavam queda de 8,92%, enquanto as preferenciais (PETR4) — aquelas vendidas às pessoas físicas — recuavam 9,34%.

Histórico

A operação começou em um posto de gasolina em Brasília, onde ficaria uma casa de câmbio que operava dólares de maneira clandestina. No decorrer das investigações, foram descobertas ligações com empresas e políticos, além de um suposto esquema de propina envolvendo
a Petrobras

Como operava a quadrilha

Empresas de grande porte combinavam o preço das licitações, superfaturando os valores. Parte do dinheiro excedente era encaminhada para executivos e operadores do esquema, que repassariam a propina para os destinatários finais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.