NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Mulher relatou medo de morrer após aplicação para aumentar bumbum

Maria Brandão disse à suposta biomédica que estava passando mal em Goiânia, Goiás (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)
* G1 - Após fazer uma aplicação de hidrogel no bumbum, a paciente Maria José Medrado de Souza Brandão, 39 anos, disse que estava passando mal e com medo de morrer à suposta biomédica que fez o procedimento em uma clínica estética de Goiânia. "[Estou] tremendo muito e com uma falta de ar enorme”, relatou a mulher, pelo aplicativo de celular Whatsapp, antes de falecer em um hospital, na madrugada do último sábado (25).

Maria José Brandão morre após fazer aplicação de hidrogel no bumbum, em Goiânia, Goiás (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)
Maria  Brandão morre após fazer aplicação de hidrogel no bumbum (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)
Maria chegou a perguntar se o hidrogel poderia ir para a corrente sanguínea. Mas a profissional negou e disse para ela se acalmar: "Não tem perigo, pode ser pela tensão mesmo”.
O procedimento para aumentar o bumbum foi feito na sexta-feira (24). No mesmo dia, Maria foi encaminhada ao Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais) do Setor Vila Nova. Em seguida, a levaram para o Hospital Jardim América, onde foi internada, na Unidade de Terapia Intensiva.
Segundo a família, Maria morreu por volta das 5h de sábado com quadro suspeito de embolia pulmonar, mas a causa da morte só será confirmada pelo laudo do IML, que deve ser concluído na próxima sexta-feira (31). A Polícia Civil investiga o caso.
Primeira sessão
Essa foi a segunda vez que Maria aplicou o hidrogel no bumbum. Ela voltou a passar pelo procedimento porque não gostou do resultado da primeira sessão, feita em 12 de outubro, em um hotel de Goiânia.

Logo após a aplicação inicial, Maria também enviou mensagens para a profissional dizendo que estava “muito assustada” com o resultado: “Só choro e choro”. Segundo a vítima, uma lateral das nádegas estava maior que a outra, diferente de como ela queria que ficasse “redondinha e empinada”.
A mulher, que se apresentava como biomédica, a tranquilizou: “Não vai ficar desse jeito, pode ficar tranquila flor, não tira porque você vai se arrepender”. Dois dias depois o primeiro procedimento, Maria disse à profissional que já estava melhor e agradeceu a disponibilidade dela, mas que queria fazer a correção.
Interdição
A segunda aplicação foi feita em uma sala alugada de uma clínica estética do Setor Parque das Laranjeiras. A Vigilância Sanitária Municipal interditou o estabelecimento na última terça-feira (28) porque o local não tinha a documentação necessária para funcionar.

Clínica é interditada após mulher morrer ao tentar aumentar o bumbum em Goiânia, Goiás (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Clínica é interditada após mulher morrer
(Foto: Sílvio Túlio/G1)
A clínica pertence a uma enfermeira, que estava no local, mas não quis falar com a imprensa. Além da interdição, ela também recebeu uma multa no valor de R$ 2 mil.
Aos fiscais, a mulher afirmou que alugou uma das quatro salas da clínica para que a suposta biomédica fizesse a aplicação. Pela diária, na última sexta-feira (24), dia em que foi realizado o procedimento, ela pagou R$ 250. Segundo o chefe da Divisão de Fiscalização em Saúde da Vigilância Sanitária Dagoberto Costa, a dona da clínica disse que não sabia o que seria realizado, mas, mesmo assim, ela deve responder pela morte.
Investigação
O boletim de ocorrência foi registrado por familiares da vítima ainda no sábado, no 8º Distrito Policial de Goiânia. Na segunda-feira (27), o caso foi transferido à Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH). Porém, nesta terça-feira (28), a polícia informou que a morte será investigada pelo 17º Distrito Policial, que atua na área do Parque das Laranjeiras, onde é situada a clínica.

Os filhos e uma amiga de Maria prestaram depoimento na terça-feira. Delegada responsável pelo caso anteriormente, Tatiana Barbosa explicou que a suposta biomédica pode ser indiciada por homicídio culposo.
Maria José Medrado de Souza Brandão aplicação de hidrogel para aumentar o bumbum em GoIânia, Goiás (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)
Maria fez aplicação de hidrogel para aumentar
o glúteo (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)
Ato exclusivo de médicos
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego), Luiz Humberto Garcia de Souza explicou ao G1 que o procedimento invasivo no glúteo é delicado e só pode ser realizado por médicos devidamente qualificados.

De acordo com o especialista em cirurgia plástica, há uma grande possibilidade de a paciente ter tido embolia pulmonar em virtude da aplicação no glúteo. “Esse produto é um gel muito articulado, são partículas muito pequenas que têm facilidade de penetração vascular e que podem ser levadas em um volume massivo para a árvore venosa do pulmão, gerando um caso gravíssimo de embolia pulmonar”, conclui.
Diante do ocorrido, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) publicou uma resolução proibindo o trabalho médico em estabelecimentos como clínicas de estética e salões de beleza. A norma  começa a vigorar na quarta-feira (29).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.