NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Delta deixa obras de mobilidade para Copa 2014 em Fortaleza

 

Empresa vai receber R$ 5 milhões por 3% de obras, segundo prefeitura
Em licitação de R$ 140 milhões, nova contratada vai trabalhar 24 horas.


Trecho interditado nos arredores do estádio Castelão (Foto: André Teixeira/G1) 
Trecho interditado por obras de mobilidade nos
arredores do Castelão (Foto: André Teixeira/G1)
 
A prefeitura de Fortaleza anunciou nesta terça-feira (15) que rescindiu o contrato com a construtora Delta, que havia ganho licitação no valor de R$ 145 milhões para realizar obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014, na capital cearense. De acordo com o coordenador de projetos especiais da prefeitura, Geraldo Accioly, a empresa fez um pedido "unilateral" de rescisão na última sexta-feira (11) e a prefeitura acatou no mesmo dia. Em abril, a construtura deixou o consórcio responsável pela reforma do estádio Maracanã, no Rio.
De acordo com a prefeitura, a Delta chegou a realizar 3% das obras de mobilidade urbana de Fortaleza e, portanto, vai receber R$ 5 milhões pelos serviços prestados. Segundo Accioly, Fortaleza não sofreu nenhum prejuízo porque não havia adiantado nenhum recurso à Delta. "Ainda não pagamos nada à Delta. Não houve prejuízo. Vamos pagar os R$ 5 milhões pelo que já foi feito. Não queremos dar calote na empresa", disse Geraldo Accioly, em entrevista coletiva nesta terça, sem especificar exatamente o que foi realizado pela construtora.
 
Conforme documento que a Delta Construções S.A encaminhou à prefeitura de Fortaleza na última sexta (11), o motivo para o pedido de rescisão é justificado pelo "atual momento societário da empresa", em que há possibilidade de uma transição/fusão societária. Dessa forma, a empresa alega que não pode mais se comprometer a realizar o cronograma como o acertado anteriormente.
A empresa é suspeita de ter ligação com o contraventor Carlinhos Cachoeira, que está preso após denúncia de comandar uma quadrilha de jogo ilegal. Além disso, a Delta é uma das empreiteiras com maior volume de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal.
Em nota, a Delta confirma a versão da prefeitura e acrescenta que "vinha cumprido rigorosamente" o contrato entre a empresa e prefeitura de Fortaleza. A Delta realizava obras de ampliação e modernização em avenidas no entorno ou que dão acesso ao Castelão. Entre elas, a Via Expressa, Alberto Craveiro, Dedé Brasil, Paulino Rocha e Raul Barbosa.
Nova licitação
O município de Fortaleza informou que acatou o pedido de rescisão no mesmo dia e começou a organizar a abertura de uma nova licitação para a continuação das obras que, segundo a prefeitura, foram iniciadas pela Delta. Como R$ 5 milhões devem ser pagos à Delta, o novo edital prevê um valor R$ 140 milhões para a nova empresa vencedora de licitações continuar as obras. O início dos trabalhos é previsto pela prefeitura de Fortaleza deve ser realizado entre 75 e 90 dias.
Segundo Geraldo Accioly, para manter o cronograma e as obras ficarem prontas a tempo do evento da Fifa, há uma cláusula no novo edital em que a empresa vencedora vai trabalhar em quatro turnos. Ou seja, durante 24 horas. O coordenador de projetos especiais da prefeitura informou ainda que quando as obras forem retomadas, a Avenida Alberto Craveiro vai ser prioriade, por ser considerada o "corredor da copa", em Fortaleza.
Accioly explicou ainda que há cerca de 20 dias, a prefeitura procurou a Delta para saber se, apesar da crise, continuaria as obras. Na ocasião, a empresa respondeu que sim, segundo o coordenador. De acordo com ele, a mudança de posição ocorreu apenas na sexta-feira passada (11).
 
Preparar o terreno
Durante a coletiva realizada nesta terça-feira (15), o presidente Autarquia Municipal de Trânsito de Fortaleza (AMC), Fernando Bezerra, informou que durante o período de contratação da nova empresa, a prefeitura vai antecipar as desapropriações de casas para que quando a empresa recomece as obras, o terreno já esteja preparado.
Além disso, Bezerra informou que em 48 horas, serão retirados os desvios do entorno do estádio Castelão. O trânsito ficará normalizado até a retomada das obras. "Vamos desmanchar as sinalizações horizontais e liberar o tráfego na região do Castelão. Não faz sentido não ter obra e ficar com os desvios", disse.

Fonte: G1
Por MMelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.