NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

domingo, 30 de novembro de 2014

Ceni falha em chapéu e São Paulo só empata no adeus de Kaká ao Morumbi

Alexandre Schneider/Getty Images

* Uol - Kaká não teve a despedida dos sonhos do Morumbi, mas ajudou o São Paulo a conquistar uma vaga direta para a fase de grupos da Libertadores com empate por 1 a 1 diante do Figueirense, no Morumbi, na tarde deste domingo. O meia, que se apresenta ao Orlando City, dos EUA, após o Brasileirão, teve atuação boa na partida, que foi equilibrada, com chances para os dois lados.

Com o resultado, o clube paulista foi a 70 pontos, e não perde mais a vice-liderança da competição. Com isso, está com uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores de 2015, que será disputada sem Kaká, mas com Rogério Ceni, que renovou contrato nesta semana.
O goleiro são-paulino, aliás, falhou no gol dos catarinenses. Ao tentar dar um chapéu em um rival, facilitou o gol de Mazola.
O Figueirense saiu do jogo da mesma forma que entrou: sem grandes pretensões no Brasileirão. Com 47 pontos, vai terminar a competição no meio da tabela, longe da briga na parte de cima, mas sem sofrer nenhum risco de rebaixamento.
Fases do jogo: O primeiro tempo foi de muita marcação e poucas chances de gol. Os donos da casa até procuraram o ataque, mas esbarraram na falta de movimentação ofensiva e na boa marcação adversária.
Kaká buscou o jogo, e apareceu bem na área aos 19 minutos, mas seu cruzamento não encontrou ninguém. O Figueirense chegou a assustar nos contragolpes, mas sempre falhando no último toque, sem levar grande perigo a Rogério Ceni.
A torcida chegou a gritar gol no finalzinho do primeiro tempo, mas tudo não passou de uma ilusão de ótica. Toloi cobrou falta com perigo, mas a bola atingiu a rede do lado de fora do gol de Tiago Volpi.
No comecinho da segunda etapa, o Figueirense quase silenciou o Morumbi em um contra-ataque mortal. Marcão recebeu nas costas da defesa, cortou Edson Silva e rolou para Pablo, livre, na pequena área. O atacante tocou por cima de Rogério Ceni, mas acertou o travessão, perdendo um gol incrível.
O lance esquentou o jogo, e as equipes começaram a procurar mais o ataque. Luis Fabiano acertou uma bomba da entrada da área, e a bola explodiu no travessão de Tiago Volpi.
A má qualidade na finalização mostrou a sua cara, e algumas oportunidades foram desperdiçadas. De cabeça, Kaká quase marcou em sua despedida da casa são-paulina, mas a bola passou à esquerda do gol. Mazola, revelado na base do São Paulo, teve sua chance, mas chutou por cima, longe do gol.
O gol são-paulino foi conquistada "à la Muricy", na bola parada. Osvaldo bateu escanteio e Edson Silva testou firme, sem chances para Thiago Volpi. Depois disso, o Figueirense teve William expulso.
Quando parecia que a vitória paulista estava garantida, veio o empate. Rogério Ceni foi sair jogando, tentou chapelar um atacante mas acabou desarmado. Mazola teve o gol livre para bater e garantir um ponto para o Figueirense.
Melhor: Edson Silva (São Paulo). O zagueirão chegou a vacilar na defesa, em um lance no qual Pablo, do Figueirense, acertou o travessão. Depois, entretanto, se redimiu: acertou uma bela cabeçada, em um lance difícil, após cobrança de escanteio, garantindo o gol.
Pior: Rogério Ceni (São Paulo). O capitão são paulino é conhecido pela técnica com os pés, mas falhou neste domingo. Saiu da área, tentou uma espécie de chapéu no atacante e acabou desarmado. O lance resultou no gol de empate do Figueirense.
Toque dos técnicos: Muricy Ramalho apostou em um ataque mais lento, com dois jogadores de área – Alan Kardec e Luis Fabiano. Faltou movimentação ao São Paulo, que teve poucos lances de perigo. Parte disso se deve à boa marcação montada por Argel, que desde os tempos de jogador, é especialista em defesa. O Figueirense fechou os espaços tanto no meio de campo como atrás, e dificultou muito as ações são paulinas no Morumbi.

No segundo tempo, as duas equipes ficaram mais ofensivas - mais furto do cansaço do que de grandes mudanças promovidas pelos treinadores. A chave do primeiro gol foi uma das tradicionais bolas paradas de Muricy Ramalho: Edson Silva abriu o placar de cabeça, após cobrança de escanteio. A vitória seria tranquila, se não fosse a falha de Rogério.

Para lembrar:
Adeus: Kaká se despediu do Morumbi em sua curta volta ao São Paulo. Mesmo sem ter feito uma partida brilhante, recebeu muitos aplausos da torcida, e foi ovacionado ao deixar o campo.
Esforço mental: o treinador do Figueirense, Argel Fucks, terminou a primeira etapa ensopado de suor. O ex-zagueiro até brincou. "Tem sido assim o Brasileirão inteiro".
Mini confusão: Thiago Heleno e Toloi começaram a se estranhar, mas os companheiros de equipe foram rápidos, separaram os dois e evitaram uma confusão maior.
FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X FIGUEIRENSE

Data e hora: 30/11/2014, às 17 horas (de Brasília)
Local: Morumbi
Árbitro: Antônio Denival de Morais (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (ambos PR)
Gols: Edson Silva, 26'/2º T (1-0); Mazola, 44'/2ºT (1-1) 
Cartões amarelos: Alvaro Pereira, Ganso (São Paulo) William, Dener, Mazola (Figueirense)
Cartão vermelho: William (Figueirense)

SÃO PAULO
Rogério; Auro, Rafael Tolói, Edson Silva e Alvaro Pereira (Reinaldo); Denílson, Hudson, Ganso, Alan Kardec (Osvaldo) e Kaká (Pato); Luís Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho

FIGUEIRENSE
Tiago Volpi; William, Thiago Heleno, Nirley e Marquinhos Pedroso; Dener, França (Rivaldo, depois Yago), Marco Antônio e Felipe; Pablo (Mazola) e Marcão. Técnico: Argel Fucks

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.