NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

'Viúva-Negra': Mulher é presa suspeita de assassinar quatro amantes em SC

Uma mulher de 46 anos foi presa na cidade de Caçador, a 350 km de Florianópolis (SC), suspeita de ter assassinado quatro ex-amantes. Segundo a polícia, ela é investigada há quatro meses depois de uma denúncia anônima. A mulher recebeu o apelido no município de 'Viúva-Negra'.

Um idoso de 60 anos morreu no dia 25 de julho deste ano. O carro foi encontrado em uma ribanceira e a causa da morte foi dada como parada cardíaca. A polícia concluiu o caso como acidente. No entanto, o inquérito foi reaberto após a denúncia.

Ele teve um filho fora do casamento com a suspeita, o rapaz tem hoje 21 anos, mas teria reconhecido a paternidade somente em janeiro. A suspeita soube de um seguro de vida que ele contratou um seguro de vida no valor de mais de R$ 1 milhão e, um dia antes da morte, ele foi visto na casa dela. O filho seria um dos beneficiários.

O delegado Fabiano Locatelli informou que um novo laudo apontou a presença de substâncias químicas na corrente sanguínea da vítima que pode ter provocado o infarto. Na investigação sobre o passado da mulher, o delegado disse que dois ex-amantes dela morreram de epilepsia e um terceiro também de infarto, todas as mortes suspeitas. Em todos os casos ela herdou o seguro de vida das vítimas.
O filho que ela teve com o idoso também foi preso. As investigações indicam que ele dirigiu o carro do pai até o local do acidente e pode ter ajudado a mãe a cometer o homicídio na casa da família. Outro filho da mulher, de 16 anos, que ela teve com um PM que morreu, presenciou todo o crime. O delegado informou que o jovem de 21 anos e a mãe estão presos desde terça-feira (25) e devem responder pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, corrupção de menores, fraude processual e estelionato.
Locatelli afirmou que, como as mortes aconteceram há muitos anos, não será possível colher novas provas para incriminar a suspeita. Ela responderá pela morte apenas do idoso. Em 2000, um PM morreu, ele era pai do filho de 16 anos da suspeita, e em 2012 um operário. Ambos morreram de epilepsia, segundo o delegado, após remédios dados pela mulher. Em 2012, um agricultor morreu de infarto e ela recebeu mais de R$ 190 mil de seguro de vida.
* R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.