NOSSO BLOG

NOSSO BLOG

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Inter leva 2 a 0 do Bahia no Beira-Rio e se complica na Sul-Americana

O Internacional estreou na Copa Sul-Americana com derrota. Nesta quarta-feira, no estádio Beira-Rio, o time de Abel Braga repetiu as atuações recentes do Brasileirão, fez um jogo burocrático e perdeu por 2 a 0 para o Bahia – gols de Lucas Fonseca e Diego Macedo. Mesmo com time misto, o Colorado chegou a acertar a trave três vezes, mas as falhas defensivas presentearam um esforçado adversário.

Com o resultado, o Inter precisa devolver o placar em Salvador, na próxima quinta-feira, para levar a disputa na fase internacional da competição para os pênaltis. Para o Bahia, a vitória significa algo muito maior do que um bom começo na Sul-Americana. Vale o primeiro triunfo sob o comando de Gilson Keina. Até então, o treinador havia empatado três vezes desde que chegou ao clube.

Fases do jogo

O Internacional começou em cima, com marcação pressão e uma bola na trave logo no primeiro minuto do confronto, fruto de um chute de Valdívia. A estratégia promissora aos poucos foi dando lugar a uma atuação burocrática. Aránguiz, mais uma vez, foi discreto e Wellington Paulista padeceu do mesmo problema de Rafael Moura: isolamento. O Bahia se defendia como dava, esperando por um espaço para contra-atacar.

A equipe de Abel Braga acertou a trave mais duas vezes até o intervalo, com Wellington Paulista em chute de fora da área e cobrança de falta de Alex. Mas além disso, parecia um time lento. Até dando impressão de falta de entrosamento. O time de Gilson Kleina se aproveitou disso. Aos poucos foi ganhando campo, dividiu a posse de bola e terminou a primeira etapa melhor.

O lance emblemático do jogo vermelho ocorreu em uma bola recuada para Dida, onde nenhum jogador se movimentou para receber o passe. O Bahia não pressionou e por alguns segundos a partida ficou parada, mas com o cronômetro rodando. Antes do intervalo, a leniência cobrou seu preço. Lucas Fonseca ganhou da zaga vermelha no ar e desviou de cabeça, após escanteio da esquerda: 1 a 0.

Na etapa final, Leandro entrou na vaga de Ygor e deixou o Colorado mais ofensivo. Só que aos 30 segundos o time gaúcho levou o segundo gol. Henrique recebeu na área, protegeu e passou por Paulão com grande facilidade. No fundo do campo, tocou para trás e Diego Macedo finalizou. O Inter reclamou que a bola havia saído pela linha de fundo, mas a arbitragem confirmou o 2 a 0.

A segunda bola na rede foi um balde de água gelada em Abel Braga. O treinador ainda chegou a lançar Alan Patrick na vaga de Alex, que caiu muito de produção ainda no primeiro tempo, mas não conseguiu ver o time melhorar. O Bahia teve outras duas chances para ampliar. Em uma delas o ataque se enrolou e ficou impedido e na outra Dida segurou um toque muito semelhante ao que deu origem ao gol de Diego Macedo.

O melhor: Lucas Fonseca - zagueiro ajudou Bahia a suportar pressão inicial, em boa parceria com Titi diante de um ataque muito espaçado e sem profundidade do Inter. Ainda foi ao ataque e levou a melhor em cima dos defensores do Colorado, abrindo o placar.

O(s) pior(es): Paulão - zagueiro foi facilmente batido no lance do segundo gol do Bahia e comprovou que atualmente é reserva do Inter. Com erros em saída de bola e combate direto junto ao ataque do time visitante. Aránguiz - chileno mais uma vez foi apagado em campo, por atuar na linha de três armadores. Não conseguiu surgir como elemento surpresa no ataque e tampouco ajudou na marcação.

Toque dos técnicos

Abel Braga escalou cinco jogadores do considerado time titular, mas manteve Aránguiz fora da posição onde mais rendeu no Colorado. Adiantado, o chileno se mostrou outra vez apagado. Por vezes perdido. O esquema 4-2-3-1 não funcionou novamente. Wellington Paulista, substituto do vilão diante do Atlético-MG - por acertar a trave - Rafael Moura não mudou em nada a ineficiência ofensiva do Inter.

Gilson Kleina escalou Roniery e Diego Macedo para segurar Valdívia, o jogador mais agudo do Internacional no primeiro tempo. E aos poucos conseguiu anular as investidas do time gaúcho por aquele lado. A estratégia de esperar os espaços para atacar se mostrou muito eficiente, com destaque para Emanuel Biancucchi e Rafinha.

Para lembrar

O Internacional volta a campo no sábado, quando enfrenta o Palmeiras em São Paulo. Já o Bahia segue no Rio Grande do Sul e encara o Grêmio, na Arena, no próximo domingo.



FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 X 2 BAHIA
Data e horário: 27/08/2014 (quarta-feira), às 22h (horário de Brasília)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Público: 9.368 (7.340 pagantes)
Renda: R$ 173.510,00
Árbitro: Christian Ferreyra (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas (URU) e Richard Trinidad (URU)
Cartões amarelos: Ernando (INT); Titi (BAH)
Gols: Lucas Fonseca, aos 43 minutos do primeiro tempo. Diego Macedo, aos 30 segundos do segundo tempo.

INTERNACIONAL: Dida; Winck, Paulão, Ernando e Alan Ruschel; Ygor (Leandro), Wellington, Aránguiz, Alex (Alan Patrick) e Valdívia. Wellington Paulista
Técnico: Abel Braga

BAHIA: M. Lomba, Roniery, Lucas Fonseca, Titi e Pará; Rafael Miranda, Léo Gago, Diego Macedo e Emanuel; Rafinha e Henrique
Técnico: Gilson Kleina

Fonte: Cidade News via Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.